Mamãe! Como acostumar seu filho a ir a creche com 10 dicas

Os pais voltaram a trabalhar, a babá foi embora, a avó se mudou. Por algum motivo, chegou a hora de levar o filho para a creche. Mas, se a criança sempre ficou em casa com a família, a adaptação pode ser complicada, e não apenas para os pequenos – os adultos também precisam estar preparados para o momento.

A aclimatação começa antes mesmo da matrícula, quando a família decide que é chegado o momento de a criança ir para a creche. É importante que não apenas os pais estejam de acordo, mas que avós ou outras pessoas que frequentem o ambiente familiar entendam e respeitem a decisão.

Em uma entrevista ao site: https://www.terra.com.br/noticias/educacao/sem-traumas-10-dicas-para-facilitar-a-adaptacao-na-creche,1c68317f696eb410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html. Para a especialista em psicopedagogia e mestre em educação Márcia Pinheiro, o primeiro passo é que a família compreenda que a creche é importante para que as crianças desenvolvam a sociabilidade. Nesse sentido, Eliana de Barros Santos, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Global, em São Paulo, ressalta que a criança que já frequenta o berçário tem adaptação mais fácil ao maternal e, depois, à escola.

1. Escolha da creche 
É preciso encontrar um lugar adequado à realidade e à cultura da família, pensando em que tipo de cuidado e educação se procura. Nem sempre a instituição ideal para o filho de um amigo ou vizinho é a melhor para o seu. Um ponto importante é a recepção que os pais receberão.

Lembrando que é importante manter o diálogo com os professores e pedagogos. Conhecer as estruturas físicas e a formação dos profissionais, além das condições de saúde e higiene, também ajudam a dar confiança para transmitir esse sentimento ao filho.

2. Demonstração de confiança 
A criança percebe quando o adulto não está seguro e fica insegura também. A entrada na creche altera a realidade dos pequenos. É importante que os adultos demonstrem que não existem problemas na mudança, que é normal e vai ser bom.

3. Presença de um familiar 
“Deixar a criança sozinha e sair é um crime”, comenta Márcia. O ideal é que, nos primeiros dias, algum familiar permaneça no local. A ideia é que o afastamento ocorra gradualmente. No começo, o adulto fica no mesmo ambiente. Depois, na sala ao lado, até que a criança demonstre conforto com a creche, os professores e os colegas. Não existe tempo certo. Crianças menores geralmente precisam de mais tempo. Mas não há regra.

4. Elemento de apego 
Elemento de apego ou objeto de transição é aquele objeto que os pequenos não largam. Pode ser um brinquedo, um travesseiro, uma fralda. Deixar a criança levá-lo para a creche ajuda na adaptação, pois funciona como um elo com o ambiente familiar. Com o tempo, o objeto é deixado de lado, mas é importante que este movimento seja feito pela própria criança e não exigido por um adulto.

5. Ser claro 
Seu filho precisa entender por que está indo para a creche. É importante que ele saiba onde e com quem vai ficar. Na hora de ir ao banheiro, comer ou quando estiver com algum problema, a criança ficará mais segura se souber a quem recorrer.

6. Não proponha prêmios 
É importante que haja o entendimento de que a creche é importante, e ir para lá não pode parecer algo ruim que será recompensado com um presente. “A criança precisa saber que o prêmio é ir para a creche, que vai ser divertido”, defende Eliana.

7. Choro não significa problema 
Da mesma forma que ir contente não significa que a situação está 100%. Muitos fatores podem ser responsáveis pelo choro, e nem todos estão ligados à creche. É preciso investigar o que está gerando incômodo. Algumas vezes, o motivo será surpreendente: a segunda-feira. De acordo com Márcia, o fim de semana representa uma ruptura muito grande na rotina, então voltar para a escolinha pode ser complicado.

8. Será que a criança se adaptou? 
Como saber se seu filho está se adaptando? Segundo Eliana, os sinais são mais claros durante o período em que a criança está na instituição. É importante conversar com os profissionais que cuidam de seu filho e visitar o local de vez em quando, observar se ele brinca com os amiguinhos e se está comendo bem. Muitas vezes os pequenos fazem birra para ir, mas chegando lá ficam felizes.

9. Use exemplos de irmãos, primos e vizinhos 
É mais fácil quando existem irmãos mais velhos. Permita que a criança se espelhe em outras que já vão para a escola. Se só tiver um filho, procure apontar exemplos em primos, vizinhos. Os pequenos gostam de saber que já podem fazer as mesmas coisas que os maiores.

10. Crie vínculos 
É bom para os pais e as crianças. O espaço de creches e escolinhas oferece uma oportunidade de conhecer pessoas e criar amizades. Convidar coleguinhas para visitar a sua casa permite que as crianças aumentem os vínculos sociais e que você se torne amigo de outros pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *